Pesquisar este blog

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

E VC???


PENSAMENTO DO DIA... ou da noite...

“Alguém deve nos contar, logo no início de nossas vidas, que estamos morrendo. Poderíamos assim viver a vida ao máximo, em cada minuto de cada dia. Pois faça isso! O que quer que deseje fazer, faça agora! Há apenas uma quantidade limitada de amanhãs.” - MICHAEL LANDON

SALMO DO DIA


Salmo 3

[Salmo de Davi, quando fugiu de diante da face de Absalão, seu filho] 

SENHOR, como se têm multiplicado os meus adversários!
São muitos os que se levantam contra mim.
Muitos dizem da minha alma: Não há salvação para ele em Deus. 
Porém tu, SENHOR, és um escudo para mim, a minha glória,
e o que exalta a minha cabeça.
Com a minha voz clamei ao SENHOR,
e ouviu-me desde o seu santo monte. (Selá.)
Eu me deitei e dormi; acordei, porque o SENHOR me sustentou.
Não temerei dez milhares de pessoas que
se puseram contra mim e me cercam.
Levanta-te, SENHOR; salva-me, Deus meu;
pois feriste a todos os meus inimigos nos queixos;
quebraste os dentes aos ímpios.
A salvação vem do SENHOR; sobre o teu povo seja a tua bênção. 

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

SEMANA DA RESTAURAÇÃO 2012

PRELETORES CONFIRMADOS
- Mariana Valadão
- Pr. Felipe Valadão
- Ap. Fernando Guillen
- Pr. David Quinlan
- Pr. Antonio Cirilo
- Pr. Marcio Rocha e Pra. Marisangela

- Pr. Samir Mustafá
- Pr. Claudio Duarte
- Pr. Teixeira

- Pr. Edivanio
- Pr. José Washington

Ex-desenhista da Disney largou tudo para fazer animações bíblicas

Depois de ficar rico e famoso, desenhista aposta em animações que preguem a Palavra de Deus


“Deus é um artista cheio de imaginação e de criatividade”, disse o veterano animador, Davy Liu, que agora é produtor de filmes independentes, além de ilustrador e diretor de arte. ”Os melhores artistas e músicos da história criaram as suas melhores obras para Deus, que merece o nosso melhor”.
Profissional experiente, trabalhou para a Disney em desenhos como “A Bela e a Fera”, “Aladdin”, “Mulan” e “O Rei Leão”. Também fez trabalhos para George Lucas e o departamento de animação da Warner Bros. Suas ilustrações marcaram as páginas de várias revistas e jornais.
Em uma entrevista recente, Liu disse que abandonou seu emprego de salário milionário como animador em Hollywood, a fim de realizar um sonho. Agora está produzindo uma série de 12 animações que espalham a mensagem do evangelho. Com confiança, persistência, sonho e paixão, Liu está determinado a oferecer o seu melhor para Deus.
Aos 19 anos, Liu tornou-se o primeiro animador chinês da Disney, onde aprendeu quase tudo que sabe. Quando estava trabalhando em “O Rei Leão” teve a vontade de criar uma série de filmes de animação com temas bíblicos. Ele explica que a trama de “O Rei Leão” é parcialmente inspirada na história de José, relatada na Bíblia.
Assim como José, Simba, o filho de Mufasa, deveria se tornar uma pessoa poderosa, mas deixou seu reino e foi para um lugar distante até que resgata sua identidade para poder assumir o trono. O filme da Disney mostra o pequeno Simba em busca de sua própria identidade até chegar à maturidade necessária para ser rei.
Com a inspiração de “O Rei Leão”, Liu decidiu que filmaria uma série de animações de histórias da Bíblia numa perspectiva diferente: a dos animais. Em 1999, aos 30 anos, renunciou o seu trabalho na Disney no auge de sua carreira. Ele começou do zero, assumindo responsabilidades por todos os detalhes do seu projeto, inclusive escrever roteiros, desenhar os cenários e criar personagens.
O artista já tem vários de seus scripts prontos, que devem virar filmes com cerca de 90 minutos de duração. Alguns deles já foram publicados em formato de livro: “Leaf Giant”, “Peixe Fire”, “Convidado da Jordânia”, e “A Festa da Royal.”.
Liu estima que cerca de 50 milhões de dólares serão necessários para a produção de todas as animações. Devido a sua complexidade, cada uma deve demorar cerca de dois anos para ser terminada. Mas Liu ainda não encontrou investidores que entendam sua proposta, que não é simplesmente ganhar dinheiro com o cinema.
“Folha Gigante”, por exemplo, é a história da Arca de Noé visto através da perspectiva de alguns dos animais que entraram nela. “Peixes de fogo” é a história de Moisés cruzando o Mar Vermelho contada pelos peixes, “Convidado da Jordânia” é a história da crucificação de Jesus vista pelo burrinho que o carregou. “O Banquete Real” é a história de Daniel contada pelos leões.
“Recebi as inspirações para essas histórias enquanto fazia meu devocional”, lembra. Por exemplo, quando li Gênesis 6, fiquei muito curioso para saber como Deus chamou todos os animais para entrar na arca?
“Folha Gigante” conta a história de Kendu, uma raposa que se viu durante um sonho boiando em uma folha gigante em meio a muita água. Ao acordar, ela inicia uma jornada para chegar a esse refúgio e encontra um macaco chamado Yitzhak e uma coala chamada Odelia. Ao chegar à arca eles encontram alimento em abundancia e descobrem seus pares estavam lá esperando por eles.
“Quando eu era pequeno, pensava que Jesus era como um animal que comia um décimo de tudo que tinha. A maioria das pessoas têm ideias erradas sobre Jesus e não entendem a cultura dos tempos da Bíblia. No entanto, quando as histórias da Bíblia forem mostradas no cinema, o público vai se perguntar onde está o refúgio de suas vidas?
Parece algo complexo demais para uma criança? “A verdade é que adultos também gostam de assistir animações. As crianças nem sempre entendem a mensagem escondida, mas seus pais sim”. Ele lembra que sucessos de bilheteria recentes como “Toy Story 3″ e “Up – Altas Aventuras”, da Pixar, tinham mensagens positivas e comoventes..
Desde que Liu deixou Hollywood para seguir o chamado de Deus em sua vida, já experimentou a desaprovação de sua família e grandes pressões financeiras. Mas ele não desiste, pois acredita firmemente que nada é mais importante do que ganhar vidas para o Senhor. Ele criou a produtora Kendu filmes e explica. “Quando eu trabalhava na Disney, pensava comigo mesmo por que os filmes e obras de arte produzidas por cristãos muitas vezes são feitos com orçamentos baixos ou são pouco atraentes? Eu perguntei isso a Deus em oração. O Senhor me disse que é porque bons artistas deram o seu melhor para o mundo.”
Foi então que Liu decidiu dedicar-se ao trabalho para o reino de Deus. ”Decidi me dedicar no momento em que ainda estava jovem e saudável para fazer a obra de Deus. Deus merece o melhor. Eu não quero esperar até a aposentadoria aos 65 anos antes de fazer isso, quero dar o meu melhor para Deus.”
Apesar de ainda não ter conseguido os investidos necessários para fazer todas suas animações, Liu acredita profundamente que Deus o chamou para fazer isso e é apenas uma questão de tempo. ”Mesmo que eu morra amanhã, não vou me arrepender. A vida presente é muito curta. Espero usar meu talento para glorificar a Deus e ajuntar tesouros no céu “.
Ele já está na fase de pré-produção de “A Folha Gigante”, que deve chegar aos cinemas em 2013 no formato 3D.
Mais informações kendufilms.com
Traduzido e Adaptado por Gospel Prime de Gospel Herald e Kendu Films

Cristianismo cresce na Índia apesar de movimentos contrários a pregação do Evangelho


A maioria dos convertidos pertence à casta dalit, grupo que deve ser humilhado segundo a tradição do hinduísmo.





A Índia possuí 1 bilhão de habitantes que em sua maioria professam a fé hindu, seguido por religiões indianas que possuem a mesma base como o sikhismo, jainismo e budismo. Mas o cenário religioso tem começado a mudar e hoje cerca de 70 milhões de indianos já se declaram como evangélicos, segundo dados da Missão Operação Mundial.
O salto do número de cristão se deve ao surgimento de uma igreja totalmente nacional que se adéqua aos costumes locais, fazendo com que a população seja atraída sem criar choques culturais. A recém-criada igreja cristã indiana tem crescido principalmente entre os mais pobres e analfabetos.
O crescimento de evangélicos é maior entre os indianos da casta dalit, que são considerados impuros pelos indianos e por esse motivo estão destinados a se humilharem diante das outras castas. A revista Cristianismo Hoje divulgou o dado de que há 150 milhões de pessoas que fazem parte desse grupo.
Bangarraju é missionário e faz parte desta casta, ele tem evangelizado os seus e tem criado uma nova cara para a índia cristã. Seu ministério começou em 1996 quando ele passou a evangelizar os moradores de vilas feitas de tubos de captação de água pluvial.
O missionário ensinava as crianças analfabetas formando uma escola informal que se reunia debaixo de uma árvore. Ele também organizava visitas médicas sem falar de Jesus logo de cara, e assim foi ganhando a confiança da população.
Se os dados da Operação Mundial estiverem corretos, a Índia vai ficar entre as oito maiores populações cristãs do mundo, logo atrás de Filipinas e Nigéria, e maior do que em nações de forte tradição protestante, como Alemanha ou Reino Unido. Acontece que a realidade da Índia é completamente diferente da dos outros países: lá há quase 300 milhões de deuses e grupos religiosos extremistas.
Por esses motivos o evangelho na Índia não tem muito espaço para ser propagado, mas mesmo assim as oportunidades para espalhar as boas novas do Evangelho parecem estar em todo lugar. Muitos missionários se mudam para regiões específicas e montam escolas para oferecer desenvolvimento econômico e treinamento para a  população local. Outra alternativa encontrada para expandir a pregação foi criar igrejas domésticas.
O missionário T.V. Joy, que implanta igrejas no norte da Índia, diz que as mudanças econômicas e sociais que estão acontecendo no país contribuem para quebrar com as tradições religiosas.  “O hinduísmo é uma ferramenta para nos oprimir. E o Evangelho é uma mensagem de libertação, não apenas para o céu. Ele tem palavras de liberdade. A verdade é que Deus fez o homem à sua imagem”, diz ele.
Ele acredita que essas mudanças e a mensagem do evangelho acabam enfraquecendo as concepções tradicionais sobre as castas. Talvez por isso que a maioria dos evangélicos indianos pertence à casta dalits, entre 70% a 90% dos cristãos evangélicos indianos. Por causa dessas conversões os outros grupos reforçam o desprezo que sente por eles, sentimento comum entre os brâmanes, a elite religiosa, e os militares, proprietários rurais e trabalhadores, que ocupam as outras castas.
Com informações Cristianismo Hoje

ABSURDO

Seria realmente cômico se não fosse absurdamente trágico.
As vezes você pode não entender o porquê eu posto tais arquivos no blog.
O problema é que precisamos, de alguma forma, tomar as rédeas da Igreja do Senhor novamente. 
A falta de preparo de um lado, e a ganância do outro, têm sido juntos os aliados do inferno para ridicularizar e esculhambar o sacrifício do Senhor Jesus.
Mas eu ainda creio que há um povo sério, e que tem compromisso com o Reino, e que são esses que farão diferença, e que com Ele andarão de branco nas ruas de ouro.

video

PALAVRAS


"Não tenhas medo das palavras grandes, pois se
referem a pequenas coisas.
Para o que é grande os nomes são pequenos:
assim a vida e a morte, a paz e a guerra, a noite, o
dia, a fé, o amor e o lar.
Aprende a usar, com grandeza, as palavras
pequenas.
Verás como é difícil fazê-lo, mas conseguirás dizer o
que queres dizer.
Entretanto, quando não souberes o que queres dizer,
usa palavras grandes, que geralmente servem para
enganar os pequenos."
Arthur Kudner


NÃO DEIXE AS OPORTUNIDADES PASSAREM

Comentário do Blog


Não existem desculpas para o fracasso, porque o próprio fracasso já exige uma - nossa inércia ante os desafios.
Por isso a Bíblia manda o preguiçoso ter com a formiga.




DE FAXINEIRO A PROFESSOR UNIVERSITÁRIO




Por Raquel Sciré
Do MSN




“Não podemos subestimar as oportunidades. Às vezes, achamos que a vida nos abriu uma janelinha, mas na verdade é uma grande porta.” É assim que Ednei Francisco Monteiro, 36, encara os desafios do dia a dia. Em quatro anos, ele passou de faxineiro a professor na Universidade Metodista.

Em 2001, Monteiro foi demitido de uma empresa de alimentos, onde trabalhava na área de vendas e merchandising. Por meio de um conhecido, ficou sabendo que a Universidade Metodista estava recrutando pessoas para o setor de higiene. “Sem pretensão, fui até a faculdade saber mais sobre as vagas e acabei conversando com o próprio chefe do setor de limpeza e manutenção”, lembra.

Depois de participar do processo seletivo, Monteiro foi chamado para começar a trabalhar em janeiro de 2002. “Quando soube que quem trabalhava na instituição tinha direito à bolsa de estudos, foi a realização de um sonho. Sempre tive vontade de cursar Ensino Superior. O emprego caiu como uma luva”, conta.

Monteiro abraçou a oportunidade, encarando aquele emprego como outro qualquer. “Analisei a questão da bolsa de estudos e percebi que teria ainda mais benefícios. Assumi aquela profissão com toda vontade mesmo.” Preconceito, ele conta que sofreu apenas por parte de alguns antigos colegas de trabalho, mas sabia quais eram os seus objetivos – batalhar e estudar. “Trabalho desde os 16 anos e com certeza aquele foi o melhor emprego que eu tive na minha vida”, afirma.







Desenvolvimento gradativo – Monteiro era aluno do curso de Administração de Empresas, quando participou de uma seleção interna para atuar no departamento de Comunicação Visual da Metodista. Ele conta que, antes mesmo de ter o resultado do processo seletivo, gostava de ajudar e se oferecia voluntariamente para trabalhar no setor.

Em um ano, Monteiro mudou de área e começou a trabalhar com a montagem e fabricação de banners, a produção de materiais institucionais e de cartazes para divulgações no campus. Mas foi em 2006 que passou a conviver com os alunos. “Os professores davam atividades para montar peças publicitárias, de merchandising. Como alguns estudantes não tinham tanta habilidade com os materiais e processos, passei a orientá-los”, diz.

Foi então que surgiu um convite para dar uma aula para a turma, ação que acabou se tornando rotina. Na sequência, Monteiro recebeu um convite para ministrar o curso de Marketing à distância, como professor tutor voluntário. Para aproveitar a oportunidade, resolveu cursar pós-graduação em Marketing, em 2008, também com bolsa de estudos integral.

No mesmo ano, deixou de ser voluntário e foi contratado como professor auxiliar de Ensino Superior. Como docente, ele pretende dar um passo maior, tornado-se professor temático (que dá aulas em uma área específica). Para isso, já está planejando um mestrado em Administração de Empresas, em 2012.

“Teve uma época, quando eu dava treinamentos em merchandising, que me interessei pela docência. Então já existia uma vontade de virar professor. Foi muito legal como, ao longo de um processo, consegui alcançar meus objetivos."

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Rumo ao alvo


Hoje é um dia melhor que ontem.Pois as bençãos de ontem se somam a novidade de Deus pra hoje. E é dessa forma que aprendemos a contar nossos dias alcançando coração sábio. Hoje é um dia mais perto da eternidade.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Descubra...


Pra fechar o dia







Deus não pode ser uma fase de sua vida, Ele é eterno!
Deus não pode ser uma opção no seu caminho Ele é a única escolha!

Pra refletir...


Porque a Biblia diz que o filho entregue a si mesmo envergonha pai e mãe.

REFLEXÃO


SALMO DO DIA





Salmo 2

  


Por que se amotinam os gentios, e os povos imaginam coisas vãs?
Os reis da terra se levantam e os governos consultam 
juntamente contra o SENHOR e contra o seu ungido, dizendo:
Rompamos as suas ataduras, e sacudamos de nós as suas cordas.
Aquele que habita nos céus se rirá; o Senhor zombará deles.
Então lhes falará na sua ira, e no seu furor os turbará.
Eu, porém, ungi o meu Rei sobre o meu santo monte de Sião.
Proclamarei o decreto: o SENHOR me disse: 
Tu és meu Filho, eu hoje te gerei.
Pede-me, e eu te darei os gentios por herança, 
e os fins da terra por tua possessão.
Tu os esmigalharás com uma vara de ferro; 
tu os despedaçarás como a um vaso de oleiro.
Agora, pois, ó reis, sede prudentes; 
deixai-vos instruir, juízes da terra.
Servi ao SENHOR com temor, e alegrai-vos com tremor.
Beijai o Filho, para que se não ire, e pereçais no caminho, 
quando em breve se acender a sua ira; 
bem-aventurados todos aqueles que nele confiam.

domingo, 6 de novembro de 2011

CADA VEZ MAIS CERTEZA DO PORQUÊ DO HAITI



Fonte: TERRA.COM.BR

Estudo: terremotos causam mais destruição que outros desastres
04 de novembro de 2011  09h56  atualizado às 10h47

Um estudo feito por pesquisadores americanos concluiu que os terremotos têm mais impacto na saúde humana que outros desastres naturais, como enchentes e furacões. Mais de um milhão de tremores de intensidades diversas são registrados por ano no mundo, afirma a pesquisa, publicada nesta sexta-feira na revista científica britânica Lancet.
Além das mortes imediatas, as vítimas dos tremores incluem indivíduos seriamente feridos - especialmente crianças - que não podem receber tratamento por causa da destruição da infraestrutura. No terremoto do Haiti, por exemplo, 53% dos pacientes tratados após o tremor nas proximidades de Porto Príncipe tinham menos de 20 anos de idade. Cerca de 25% tinham menos de cinco anos.
Na última década, os terremotos causaram mais de 780 mil mortes no mundo - o equivalente a 60% do total causado por desastres naturais, concluiu o estudo coordenado pela Iniciativa Humanitária da Universidade de Harvard, em Boston. Outros desastres, como enchentes e furacões, tipicamente causam mortes por afogamento, mas poucos feridos, afirmaram os pesquisadores.
No caso dos terremotos, a estimativa é de que, para cada pessoa morta no desastre, três escapam com ferimentos. Além disso, muitas das grandes metrópoles do mundo estão localizadas sobre falhas geológicas propensas a sofrer com este tipo de fenômenos, como Tóquio, Los Angeles, Nova York, Nova Déli e Xangai.
"Como os terremotos normalmente afetam áreas urbanas populosas com pouca infraestrutura, normalmente resultam em altas taxas de mortalidade com muitos ferimentos por trauma", explicou a coordenadora da pesquisa, Susan Bartel. Após o evento, também é comum uma onda de depressão que chega a atingir até 72% da população do país onde o desastre ocorreu. Depois do terremoto de 1999 na Turquia, estima-se que 17% da população podia ser diagnosticada com tendências suicidas.

E Jesus disse que a ciência se multiplicaria!




Fonte: terra.com.br



Células-tronco: paraplégico anda, mas cura para todos está longe
06 de novembro de 2011  09h10


MATHEUS PESSEL
Com a ajuda de um andador, um policial militar da Bahia conseguiu em outubro dar os primeiros passos desde que sofreu um acidente há nove anos. O paciente de 47 anos, que não teve nome divulgado, estava paraplégico e recebeu um transplante de células-tronco em 14 de abril deste ano. Em junho, já conseguia mover um pouco as pernas e, alguns meses depois, com a ajuda de muita fisioterapia, conseguiu dar os primeiros passos. Mas a recuperação do paciente baiano, apesar de dar muitas esperanças, ainda está anos à frente de tratamentos que cheguem aos hospitais e clínicas. Segundo Milena Botelho Soares, Da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Bahia, ainda falta muita pesquisa.
Milena afirma que foram escolhidos para o estudo cinco pacientes que não tinham nenhuma outra forma de recuperação para assim atestar o resultado da pesquisa. As respostas ocorreram em diferentes graus - de pacientes com pequeno retorno de sensibilidade e movimento até o policial que conseguiu andar. O estudo agora será ampliado e mais 15 pessoas com paraplegia se juntam ao grupo. Os resultados são animadores, e os pesquisadores da Bahia estimam que - se os sucessos continuarem a ocorrer - o tratamento com células-tronco vai chegar aos hospitais, mas não antes de cinco anos.
"Fizemos o transplante em cinco pacientes. Esse é o mais antigo, o primeiro que tratamos e que teve uma resposta muito boa. Os outros pacientes tiveram graus variados de recuperação, uns tiveram pouco aumento de sensibilidade e ganho de movimento, outros tiveram maior grau", explica a cientista.
Os passos da pesquisa
Outra pesquisadora de células-tronco, Patrícia Pranke, professora da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), que não teve ligação com a pesquisa na Bahia, lembra que já existe um tratamento consagrado que usa células-tronco: o transplante de medula. Mas a esperança é a de que essa área possa ajudar em muitos outros casos - de mal de Parkinson a diabetes.
A professora afirma que existem três fases na pesquisa: a básica (somente em laboratório e sem envolver animais), a pré-clínica (testes em animais) e a clínica (com humanos). Todo esse caminho leva muitos anos, até décadas, para chegar aos demais pacientes - isso se tudo der certo.
Mas a pesquisadora acredita que o avanço já pode ser considerado notável. "Até 15 anos atrás, os neurocientistas diziam: 'é impossível curar uma lesão raquimedular'. (...) É um avanço fantástico"
Patrícia explica que já conseguiu recuperar lesões na coluna de ratos em laboratório - o que não foi nada fácil, segundo ela -, mas, mesmo em animais, o resultado ainda não foi 100%. "Os nossos ratinhos não voltaram a correr. Eles estavam paraplégicos e não saíram correndo. Eles tiveram uma melhora de 40 a 50% no movimento. Isso pode parecer pouco a quem não é da área, mas não é. É um avanço fantástico. Quebrou-se um paradigma".
"É uma luz no fim do túnel. A gente sabe que é um caminho a seguir. Se esse caminho vai demorar 10 anos, 5 anos ou 50 anos, a gente não sabe. Mas eu não tenho dúvida que isso vai um dia acontecer."